27 de março de 2011

O amor é um dia como foi ontem
O amor como um acaso
O amor é um longo descanso
depois de tanto buscar

Metade

Será que fazia parte do plano eu ser a metade?
A metade que não é importante.
A metade que chora.
A metade que entretém. 

Por que chorar? Choro de solidão.
Não importa quantas vezes eu saia e, nas minhas saídas, tentar encontrar algo de felicidade, aquela que parece não ter sido feita para mim. 

A felicidade tem outra sintaxe, outra metáfase, outra forma que não a minha.
Sempre serei a outra, a substituta de sentimentos.
Eu sempre serei a que deseja de todo coração tornar-me...